A ESTANTE DE GUSTAVO BERNARDO


apfelstrudel



O GOSTO DO APFELSTRUDEL

Carlos Nascimento Silva

 

Meu amigo.

Gustavo.

O que dizer de um livro desses?... quase que pura emoção?

Nilza chorou, eu chorei e Cacaia, lá em Barcelona, chorará quando o ler, pelo gosto do Apfelstrudel, em maiúscula, já que é um substantivo, né?

Assim como o personagem, em casa todos choramos com facilidade, principalmente quando se trata de literatura. Pior, quando ancorada em nossas vidas, de tão raros momentos que valham a pena...

Sabe, Gustavo, fora os amigos que morreram cedo, muitos foram queridos por mim pela vida afora, como você, desde o início da década de '70! Nunca convivemos muito, para ter certeza, mas sempre tive a impressão - do menino ao cinquentão - que aquela figura guardava, por dentro, uma bela alma.

Talvez seja a paz que qualquer um descobre em seu olhar. E, talvez por isso, exista em você tão grande capacidade didática. Você é um dos meus amigos preciosos, desde meus 33 anos!

Beijos na sua familinha.


Copacabana, 05/10/2010


e-mail : gustavobernardokrause@gmail.com